Nossa Senhora da Assunção e São José


61- CULTIVAR O BOM SENSO!

Livro da Vida 13, 4

 

É necessário, porém, compreender como deve ser essa humildade. Creio que o demônio muito prejudica, impedindo que as almas que têm ora-ção avancem, ao lhes dar um falso conceito de humildade, fazendo parecer soberba ter grandes desejos, querer imitar os santos e aspirar ao martírio. Ele cedo nos diz ou sugere que as ações dos santos devem ser admiradas, e não imitadas por pecadores como nós. Eu também o digo, mas devemos ver com clareza o que tem de ser admirado e o que tem de ser imitado. Naturalmente, não seria razoável que uma pessoa fraca e doente se pusesse a fazer muitos jejuns e penitências, fosse para um deserto — onde não pudesse dormir nem tivesse comida — ou coisas semelhantes. Temos de pensar que, com o favor de Deus, podemos esforçar-nos para atingir um grande desprezo pelo mundo e pelas suas honras, desapegando-nos dos bens terrenos. É tão fraco o nosso coração que achamos que o chão vai faltar se nos descuidarmos um pouco do corpo para dar mais ao espírito. Logo pensamos que a fartura facilita o recolhimento, porque a preocupação perturba a oração. Muito me dói que a nossa confiança em Deus seja tão pouca e que seja tanto o amor -próprio a ponto de nos preocuparmos com essas coisas. Quando o espírito está assim tão fraco, coisas insignificantes nos trazem tanto sofrimento quanto coisas grandes e muito importantes a outras pessoas. E, no íntimo, consideramo-nos pessoas espirituais!

 

        "Pegue o pincel e tente retratar na tela da sua vida, este quadro sensacional, onde você vê a sua pessoa alegre e feliz no seguimento do Senhor, por ser uma pessoa totalmente livre e normal, vivendo este seguimento sempre com esta maravilhosa  arte do bom senso". Sigamos as dicas do Frei Ivo. Mãos à obra!

 

                 
        Quando você percebe que uma pessoa se precipitou em alguma coisa que realizou...
        Quando você vê que uma pessoa agiu de um modo totalmente errado ou  fora de tempo e de  contexto...
        Quando você se depara com alguém que tem atitudes ou usa de palavras  que não caem bem para aquele momento...
        Quando você vê uma pessoa usando vestes totalmente desproporcionais ao momento no qual participa ou, vestes que não combinam, com a idade que aquela pessoa tem...
        Quando estes fatos ou fatos semelhantes a estes acontecem, normalmente se diz: “Que falta de bom senso”!
        O Dicionário da língua portuguesa nos diz que ter bom senso é “uma forma sensata e equilibrada de decidir e julgar. É ter razoabilidade e prudência. Ter bom senso é cultivar uma forma de agir que não é afetada pelas paixões, que se pauta na razão e no equilíbrio, de acordo com os padrões e a moral”.
        No texto de Santa Teresa, acima colocado, nossa Santa nos mostra e nos pede isso: que saibamos cultivar o bom senso na nossa caminhada humana e cristã.
        Quando Teresa nos pede que saibamos ser espertos para não cairmos na tentação do demônio que nos diz: “Quem tu pensas que és? Tu não tens, nem condições e nem capacidade, para viver isso ou aquilo. Não fique aí tentando imitar os santos, pois tu nunca vais chegar a alcançar esta santidade. Admire os santos, mas não perca tempo tentando imitá-los, pois isso não é para ti”... 
Quando Teresa nos chama a atenção sobre isso, acredito que ela está querendo nos dizer
Vocês tem que cultivar o bom senso de saber que Deus vos chamou para grandes coisas e que dentro da realidade pessoal de cada um, vocês devem buscar essa perfeição, que é um sonho a ser sonhado e um ideal a ser buscado.
        Vocês tem que ter o bom senso de saber discernir o que é possível de se fazer dentro daquilo que cada um é e tem no seu viver.
        Vocês tem que ter o bom senso de saber cultivar e viver com equilíbrio, não cometendo extravagâncias que venham a prejudicar vossas vidas em todas as dimensões desta mesma vida.
        Vocês tem que ter o bom senso de saber discernir o que é bom, o que é razoável, o que é o correto, o que é o apropriado de se fazer naquele momento, dentro daquele contexto, naquela ocasião, para que com este discernimento não se cometa  o ridículo de quem as pessoas ficam rindo e ridicularizando.
        Vocês tem que ter o bom senso de não tentar fazer coisas que no fundo não são busca da vontade de Deus, mas apenas, busca da própria vontade, que é fruto de um orgulho e de uma vaidade escondidos e disfarçados que, por vezes, aparecem revestidos de uma falsa imagem de humildade.
        Vocês tem que ter o bom senso de fazer o que é possível de ser feito e de saber que a graça de Deus nunca “falha” e que é essa graça de Deus que vai nos conduzindo pelos verdadeiros caminhos do Senhor.
        Vocês tem que ter o bom senso de saber confiar mais em Deus e de, por causa deste mesmo Deus, não ter medo de se desapegar de certas coisas que aprisionam e escravizam a você, impedindo de você sentir a alegria de alguém que ama com liberdade e é imensamente feliz dentro deste amor livre.
        Pegue o pincel e tente retratar na tela da sua vida, este quadro sensacional, onde você vê a sua pessoa alegre e feliz no seguimento do Senhor, por ser uma pessoa totalmente livre e normal, vivendo este seguimento sempre com esta maravilhosa  arte do bom senso.
 

Frei Ivo Bortoluz OCD

 


                                                                    Vamos rezar com as Irmãs...
 

                                                                         

Ó Santa Teresa de Deus amada,
grande amiga do Senhor, dá-nos sede de Deus...      


“Muito me dói que a nossa confiança em Deus seja tão pouca e que seja tanto o amor--próprio a ponto de nos preocuparmos com essas coisas. Quando o espírito está assim tão fraco, coisas insignificantes nos trazem tanto sofrimento quanto coisas grandes e muito importantes a outras pessoas. E, no íntimo, consideramo-nos pessoas espirituais”!
 “Ter bom senso é cultivar uma forma de agir que não é afetada pelas paixões, que se pauta na razão e no equilíbrio, de acordo com os padrões e a moral”.
Que a graça de Deus ilumine nossa mente e coração para trilharmos a partir das palavras e da vida de Santa Teresa e do que o próprio dicionário nos ensina; o bom senso de fixar os passos e os olhos em Deus, nossa confiança e nossa força, para uma caminhada de santidade.